[contact-form-7 id="78" title="Schedule a Visit"]

Schedule a Visit

Nulla vehicula fermentum nulla, a lobortis nisl vestibulum vel. Phasellus eget velit at.

Call us:
1-800-123-4567

Send an email:
monica.wayne@example.com

As sete necessidades básicas da criança – Parte 4
·

As sete necessidades básicas da criança – Parte 4

Resumo do livro cristão: As sete necessidades básicas da criança. John M.Drescher, Editora mundo cristão. O resumo desse livro refere-se a visão cristã ligada à educação de filhos.

NECESSIDADE DE DISCIPLINA

“Jovem, obedeça sempre a seu pai, nunca deixe de seguir os conselhos da sua mãe…As ordens de seu pai e os conselhos de sua mãe são uma lâmpada para iluminar o caminho da vida. Quando seus pais castigavam você eles estavam querendo lhe mostrar a direção certa para uma vida feliz”. Provérbios 6:20,23 (A Bíblia Viva).
A criança que não sabe quais são os seus limites de comportamento, sente-se insegura e não amada. Os problemas emocionais entre os jovens não são causados pela disciplina firme, mas pela ausência dela.
Definição de disciplina. A disciplina é no geral definida como castigo que produz obediência. Este conceito é limitado. A palavra disciplina deriva de “discípulo”. Tanto disciplina quanto discípulo significa instruir, educar e treinar.
A disciplina envolve a modelagem total do caráter da criança, encorajando o bom comportamento e corrigindo aquele que é inaceitável.
Formas de disciplinar:
Desenvolver respeito pelos pais– esta é a base para todos os futuros relacionamentos da criança. Se quiser que seus filhos aceitem seus valores na adolescência, deverá então merecer seu respeito na infância.
Seja um modelo de disciplina para o seu filho. Cumpra as regras, antes de cobrá-las. A criança busca ser como aqueles que ama e admira.
Estabeleça regras. As crianças respeitam os pais que estabelecem regras. As crianças ficam confusas e infelizes quando lhes é permitido fazer o que sabem que é errado. Tente se lembrar: As professoras que mais marcaram na sua vida escolar foram aquelas que eram firmes no estabelecimento e cumprimento das regras. Comunique claramente aos seus filhos as regras que devem ser cumpridas, depois faça perguntas para saber se ele entendeu as regras.
Não aceite ser desafiado pelo seu filho. Ex: “Não faço, Não vou, ou Cale a boca você .” Tome uma atitude não finja que é surdo.
Castigo–  Privação de privilégios. Sempre deve-se explicar à criança o porquê do castigo.
Não castigue seu filho por atitudes infantis do tipo: pular, cantar, correr, derrubar leite na mesa coisa muito natural até mesmo entre os adultos que tem uma boa coordenação motora, ainda mais com uma criança que está em processo de desenvolvimento da coordenação motora (atenção: ninguém quebra ou derruba alguma coisa porque quer. Pense nisso! Seja mais tolerante).
Não crie o hábito de castigar a todo momento, porque perde o sentido.
Evite cometer os mesmos erros que os seus pais cometiam e te deixavam infeliz “Sábio é o homem que aprende com os erros dos outros’.(autor desconhecido).
Nunca castigue seu filho obrigando-o a fazer coisas que deveria gostar. Ex: Vá ler uma página da Bíblia.
Evite disciplinar ou brigar com o filho quanto estiver fazendo as refeições à mesa. Sempre deve haver uma atmosfera harmoniosa entre a família na hora das refeições.
A criança tem que aprender a ter gratidão,tem que aprender a  valorizar o que tem e o que recebe. Cuidado com o excesso de materialismo- o excesso de materialismo diminui a alegria de receber.

NECESSIDADE DE DEUS

“Se o Senhor não edificar a casa, em vão trabalham os que a edificam.”
 Sl 127:1
Ensine o seu filho que o principio da sabedoria é o temor a Deus.
Uma das primeiras orientações de Deus para os pais aparecem em Deuteronômio 6;6-8:
“Estas palavras que hoje te ordeno, estarão no teu coração; tu as inculcarás
a teus filhos, e delas falarás assentado em tua casa, e andando pelo caminho, e ao deitar-se e ao levantar-se. Também as atarás como sinal na tua mão e te serão por frontal entre os teus olhos, e as escreverás nos umbrais da tua casa, e nas tua portas.”
Vários princípios importantes são claramente estabelecidos aqui:

  1. A Bíblia ensina que, os próprios pais devem ter comunhão com Deus. Os pais não devem apenas conhecer o caminho e mostrá-lo. Eles precisam igualmente seguir este caminho. O pai que dá boas instruções ao filho, mas ao mesmo tempo lhe dá mau exemplo, pode ser considerado como alguém que oferece alimento em uma das mãos e veneno na outra. Esta atitude chama-se hipocrisia.As crianças só podem compreender Deus, amor, misericórdia, perdão, aceitação e a verdade da palavra de Deus na medida em que elas experimentam esses coisas no seu lar.
  2. A Bíblia coloca a responsabilidade pelo treinamento religioso dos filhos diretamente sobre os pais. Deus não esperou que a igreja, a escola, fizesse isso. Apresente a palavra de Deus ao seu filho como algo extremamente precioso e fundamental para a vida dele.
  3. A instrução deve ser contínua e constante.

Bibliografia
Palestra apresentada e adaptada  pela psicóloga Andréia Coliath- extraída do livro: As sete necessidades básicas da criança. John M.Drescher, Editora mundo cristão.
 

REFLEXÃO

A criança que é sempre criticada ,aprende a condenar.
A criança que é sempre hostilizada, aprende a agredir.
A criança que é sempre ridicularizada, aprende a ser tímida.
A criança que é sempre envergonhada, aprende a sentir culpa.
A criança que é tratada com tolerância, aprende a ser paciente.
A criança que é encorajada, aprende a ser confiante.
A criança que é elogiada, aprende a apreciar.
A criança que recebe um tratamento imparcial, aprende a ser justa.
A criança que vive com segurança, aprende a ter fé.
A criança que é aprovada, aprende a gostar de si mesmo.
A criança que vive em meio a aceitação e amizade, aprende a descobrir o amor no mundo.

                                                                            Dorothy Law Nolte

Parte 1  Parte 2   Parte 3   Parte 4

Categorias: Filhos, Terapia Cognitiva

Andreia Coliath

Andreia Coliath

Sou Psicóloga Clinica ( CRP 06/67143) e palestrante, atendo em Clínica particular crianças, adultos e casais desde 2001. Mestre em Psicologia Clínica pela PUC-SP – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo

6 Comentários

  • Avatar Evely disse:

    Nossa, que posts maravilhosos! Vou ler e reler!

  • Avatar silvana marques disse:

    maravilhoso fui muito edificada como mae e profissional que Deus continue te dando graça e sabedoria!

  • Avatar VILMAN TAVARES disse:

    TENHO 2 FILHOS UM DE 11 E 14 ANOS,TENHO MUITAS DIFICULDADES EM FICAR PEDINDO ELES PARA FAZER MANDADOS ME SINTO MANDONA ,APESAR DELES FICAREM EM CASA SEM FAZER NADA EU ME SINTO ASSIM.AS VEZES PENSO QUE O PAI COLABORA POIS ELE ACHA QUE EU PEÇO COISAS DE MAIS PARA ELES. EU AS VEZES DEIXO MEUS AFAZERES E EU MESMA VOU. O PAI NÃO PEDE NADA MAIS DE UMA VEZ,QUANDO CORRIJO JÁ BRAVA ELE DISSE VAI VC SABE COMO É SUA MÃE

  • Avatar Jose Carlos disse:

    Ao ler esta matéria faz com que agente creça em sabedoria para ajudar nossos filhos, pricipalmente quanto a disciplina bem definda diz que produz obediencia…

  • Avatar Verônica Andrade disse:

    Muito obrigada, mas muito obrigada mesmo por compartilhar tudo isso!
    Eu chorei muito pois sei de minhas falhas e as falhas do meu esposo… está tudo diante dos meus olhos.
    Que o Senhor tenha misericórdia de nós, e nos transforme em pais melhores, os pais que devemos ser para nossos filhos.
    Deus abençoe seu trabalho.

Deixe uma resposta para Verônica Andrade Cancelar resposta